Desempregado pode solicitar Auxílio-Doença?

O Auxílio-Doença é um benefício concedido ao segurado que apresente doença ou acidente que o impeça, temporariamente, de exercer suas atividades no trabalho. Para ter direito ao benefício, o cidadão precisa ter qualidade de segurado, ou seja, estar segurado pela Previdência Social.

Qualidade de segurado

A qualidade de segurado é pré-requisito para obter um benefício por incapacidade. O cidadão tem qualidade de segurado quando possui inscrição no INSS e contribui, mensalmente, seja como empregado, trabalhador avulso, contribuinte individual, empregado doméstico, segurado especial ou facultativo. Porém, o que acontece quando o trabalhador passar por uma doença e está desempregado?

Desempregado tem direito a benefícios do INSS?

O desemprego é uma condição prevista pela Previdência Social. Dessa forma, dentro de um determinado período de tempo, o desempregado tem assistência do INSS. A lei garante ao segurado desempregado um período de 12 meses de cobertura, mesmo sem contribuições. Chama-se “período de graça”. Durante esse tempo, ele poderá receber qualquer benefício por incapacidade, seja o Auxílio-Doença, Auxílio-Acidente ou Aposentadoria por Invalidez.

Este período pode ser estendido por mais 12 meses se o cidadão desempregado tiver já mais de 120 contribuições consecutivas ou intercaladas mas sem a perda da qualidade de segurado. O período de graça pode ser prorrogado também por mais 12 meses se a pessoa tiver registro no Sistema Nacional de Emprego (SINE) ou tiver recebido seguro-desemprego, ambos dentro do período em que mantenha a sua qualidade de segurado. Dessa forma, desempregados podem ter até 36 meses de cobertura, após pararem de contribuir, para solicitar o Auxílio-Doença.

Veja aqui a lista completa de casos em que há o período de graça, disponível no site do INSS:

  1. sem limite de prazo enquanto o cidadão estiver recebendo benefício previdenciário, como auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, bem como auxílio-acidente ou auxílio-suplementar;
  2. até doze meses após o término de benefício por incapacidade (por exemplo auxílio-doença), salário maternidade ou do último recolhimento realizado para o INSS quando deixar de exercer atividade remunerada (empregado, trabalhador avulso, etc) ou estiver suspenso ou licenciado sem remuneração;
  3. até doze meses após terminar a segregação, para os cidadãos acometidos de doença de segregação compulsória;
  4. até doze meses após a soltura do cidadão que havia sido detido ou preso;
  5. até três meses após o licenciamento para o cidadão incorporado às forças armadas para prestar serviço militar;
  6. até seis meses do último recolhimento realizado para o INSS no caso dos cidadãos que pagam na condição de “facultativo”

De acordo com o INSS, os prazos começam a ser contados no mês seguinte à data do último recolhimento efetuado ou do término do benefício conforme o caso.

Ficou com alguma dúvida?

Para mais informações, agende uma conversa com os advogados especialistas da D’Aguiar Advogados Associados.

Fale com os Doutores pelo Whatsapp: (51) 99330-8766.

 

 

Notícias

Acompanhe aqui notícias e novidades sobre a D’Aguiar e o universo jurídico

Regras de transição da Reforma da Previdência

Regras de transição da Reforma da Previdência

Regras de transição da Reforma da Previdência   A reforma não mexe nos direitos de quem já está aposentado, nem de quem já reuniu os requisitos para se aposentar. Para quem está no mercado de trabalho perto ou longe de se aposentar, a nova Previdência oferece...

ler mais
Informe Semanal 18-11-2019

Informe Semanal 18-11-2019

Informe Semanal 18-11-2019   Segurado com sequelas graves de AVC tem benefício garantido https://www.trf4.jus.br/trf4/controlador.php?acao=noticia_visualizar&id_noticia=14885 Após 3/12/98, para o segurado contribuinte individual, não é possível o...

ler mais
Reforma da Previdência é promulgada

Reforma da Previdência é promulgada

Reforma da Previdência é promulgada O Congresso Nacional promulgou, na terça-feira, dia 12, a Emenda Constitucional 103/2019, que altera o sistema de Previdência Social no Brasil. A reforma fixa uma idade mínima de aposentadoria de 65 anos para o homem e de 62 anos...

ler mais

Agende uma conversa

Agende um horário com nossa equipe e saiba como podemos ajudar você!

Contato